Blog

Em toda a história da evolução dos meios de pagamentos, o Pix já se consolidou como um dos modelos mais populares e, com rápida adesão dos consumidores.

 

Lançado pelo Banco Central em 2020, foi disponibilizado no mercado com a principal promessa de facilitar a rotina de pagamento dos brasileiros. Funções como sua instantaneidade e facilidade nas transações logo ganharam crescente repercussão no mercado.

 

O que muitos não esperavam, contudo, é que ganhasse incrível repercussão em apenas pouco mais de um ano de uso. Mais de 348 milhões de chaves foram cadastradas nesse período, com cerca de 1,6 bilhão de transações, segundo dados do próprio órgão.

 

Esses e muitos outros números mostram que 2021, apesar de tantas dificuldades econômicas impostas pela pandemia, foi o ano marcado pela revolução do Pix.

 

Desde então, o próprio BC vem adicionando e divulgando certas novidades e adaptações para este meio. Afinal, sua alta adesão necessita mudanças constantes para que traga soluções cada vez mais aderentes às necessidades dos usuários.

 

Grandes expectativas giram em torno do Pix este ano, com novidades que prometem trazer mais agilidade e praticidade no dia a dia. Os benefícios de seu uso são inegáveis, especialmente para as empresas.

 

Para garantir que seu negócio fique por dentro destas mudanças, nos acompanhe neste texto e confira tudo o que sua empresa precisa saber sobre este mercado. Veja os tópicos que serão abordados:

 

  • Trajetória do Pix;
  • Quais os benefícios do Pix?
  • Principais novidades do Pix para 2022.

 

Boa leitura.

 

Trajetória do Pix

A trajetória do Pix foi surpreendente. Assim que foi anunciado, suas funcionalidades logo despertaram um enorme interesse entre os consumidores e companhias. Mas, muitos não esperavam que tais benefícios fossem aceitos em uma velocidade extraordinária.

 

Em apenas um mês assim que foi disponibilizado pelo BC, mais de 144 mil transações foram feitas em território nacional. A quantia foi superior à registrada pelo DOC, com 39 mil feitas em Dezembro.

 

Um mês depois, as transações notificadas cresceram ainda mais, alcançando uma marca superior a 201 mil. O volume ultrapassou, até mesmo, as movimentações por TED, que tiveram cerca de metade da quantidade no período.

 

Essa progressão permaneceu em alta durante todo o ano, com marcas incríveis sendo atingidas a cada mês. Em decorrência deste crescente uso, o próprio BC viu a necessidade de disporem novas funcionalidades do Pix, para que os usuários pudessem ter maior praticidade e segurança nas transações financeiras.

 

Funcionalidades do Pix em 2021

No início, a maneira mais tradicional e prática de realizar movimentações financeiras pelo Pix, era através de suas chaves. Bastava enviar o código para a pessoa que iria transferir o valor e, recebê-lo instantaneamente.

 

Esta opção, ainda popular atualmente, logo ganhou ramificações. Pagamentos por QR Code, via o “copia e cola” foi disponibilizado pouco tempo depois, se tornando amplamente utilizada por restaurantes e bares por sua maior conveniência.

 

No final de 2021, o Pix Saque e o Pix Troco chegaram ao mercado, possibilitando que os consumidores pudessem sacar dinheiro em diversos pontos de venda. Desde uma simples loja de bairro, à uma padaria ou supermercado, como exemplo.

 

Ainda, mesmo em compras feitas por este meio, o troco pode ser solicitado em cédulas de dinheiro. Para trazer segurança aos usuários, foi estabelecido o limite de oito saques por mês, com a aplicação de uma taxa a partir da nona transação.

 

Por fim, a união do Pix ao Open Banking também foi anunciada no final do ano passado. Com ela, empresas que prestam serviços podem solicitar serem Iniciador de Pagamento (ITP).

 

Na prática, os consumidores poderão realizar pagamentos por Pix sem que precisem usar o aplicativo do banco no qual possuem uma conta. Uma funcionalidade semelhante à do copia e cola, se tornando uma alternativa aos estabelecimentos.

 

Até novembro de 2021, cerca de 7,9 milhões de empresas já utilizavam o Pix dentre seus meios de pagamento. A quantia representa cerca de 54,6% do total de negócios relacionados com o Sistema Financeiro Nacional.

 

Quais os benefícios do Pix?

Não há dúvidas de que o Pix já conquistou o favoritismo de grande parte dos brasileiros. Mas, o que fez com que se tornasse tão popular em todo o país?

 

De longe, a instantaneidade nas transações foi um dos principais benefícios sentidos pelas empresas e consumidores.

 

Ao invés de aguardar horas ou dias até sua aprovação, este meio possibilita o envio e recebimento de dinheiro em tempo real. Para isso, basta solicitar a chave do usuário ou o QR Code para transferência.

 

Sua disponibilidade 24 horas por dia também é extremamente vantajosa para as companhias, uma vez que dispensa limitações de compra de produtos. A intermediação de terceiros não é mais necessária no processo, fato que também proporciona um maior fluxo de caixa pelos registros em formato digital.

 

A praticidade no processo de compra e vendas é enorme, principalmente quando comparado com outros meios como o boleto, TED ou DOC. Os clientes não precisam de nada além de seus celulares, podem realizar diversas operações diretamente pelo aplicativo bancário.

 

Se tratando da segurança dos dados, o Pix também reduz significativamente os riscos de vazamentos e fraudes, devido à sua instantaneidade. Inclusive, novas limitações de quantias de transações foram anunciadas para garantir uma maior proteção aos usuários.

 

Principais novidades do Pix para 2022

Após grandes novidades lançadas em 2021, o BC já anunciou outras ferramentas que devem ser disponibilizadas no Pix este ano. Todas elas, prometem trazer ainda mais agilidade e segurança nas transações, facilitando ainda mais a rotina de compras dos usuários.

 

Dentre as principais anunciadas, as funções de débito automático, pagamentos por aproximação, transações offline, internacionais e parcelamentos, são as mais promissoras para 2022.

 

Entenda melhor o que consistirá cada uma delas:

 

Pix offline

Ainda em processo de avaliação, uma das novidades que pode chegar ao mercado este ano é a possibilidade de realizar transações sem que o aparelho esteja conectado à internet.

 

Para isso, será necessária a utilização de três tecnologias diferentes para sua aprovação. Ainda não existem muitos detalhes disponíveis, mas muitos especialistas acreditam que esta função dependerá do uso do QR Code.

 

Caso seja realmente aprovada, a modalidade será extremamente benéfica para o comércio nacional.

 

Em um exemplo prático, muitos lojistas enfrentam dificuldades em pagamentos nas máquinas de crédito em função de instabilidades na rede. Com o Pix offline, essa dificuldade não será mais presente, permitindo a venda dos produtos mesmo desconectados da internet.

 

Débito automático

Assim como é visto em muitos cartões, em 2022 o Pix poderá autorizar pagamentos por débito automático nos aplicativos bancários.

 

Com ela, contas de água, energia e telefone, podem ser programadas para serem debitadas automaticamente. Mas, ainda, existem muitas outras janelas de oportunidades com esta funcionalidade.

 

Como exemplo, poderá ser utilizado em cobranças recorrentes, como na venda de produtos de clube por assinatura.

 

Pix por aproximação

Os pagamentos por aproximação já são uma realidade nos cartões de débito. Este ano, os usuários poderão aproveitar o mesmo recurso pelo Pix, aproximando os celulares das máquinas de cartão.

 

Uma vez aprovadas, se tornarão mais um diferencial competitivo com outros meios de pagamento que também ganharam força nos últimos anos.

 

Internacional

De longe, uma das novidades mais aguardadas para este ano é a aprovação de transferências internacionais pelo Pix.

 

Ainda não há previsão de disponibilidade. Mas, o BC já está em negociação com países como a Inglaterra e Itália para seu lançamento.

 

Em anúncio, o órgão informou que, provavelmente, não estabelecerá nenhum limite no valor das transações. Mas, cada instituição bancária poderá impor suas próprias regras, baseadas em critérios de mitigação de riscos de fraude, prevenção à lavagem de dinheiro e financiamento do terrorismo.

 

Pix garantido

Até o momento, as transações por Pix são feitas em parcelas únicas. Para abranger essa possibilidade, as opções de parcelamento e agendamento das transferências podem ser disponibilizadas ainda este ano.

 

Seu funcionamento será bastante semelhante ao já visto nos cartões de crédito. Portanto, cada instituição também poderá estabelecer seus limites de crédito aos usuários, assim como a aplicação de taxas.

 

Conclusão

O Pix está proporcionando uma enorme revolução nos meios de pagamento.

 

Todas as novidades anunciadas até o momento já se mostraram altamente vantajosas para os empreendedores e consumidores. Neste ano, as funcionalidades divulgadas poderão trazer ainda mais agilidade e praticidade nas movimentações financeiras.

 

Vale ressaltar, contudo, que as instituições bancárias poderão definir suas próprias regras para a disponibilidade de cada ferramenta. Por isso, é importante ficar antenado à aplicabilidade de cada uma dessas funções e, como será ofertada pelo seu banco.

 

Para saber mais sobre os meios de pagamento, confira os outros artigos que temos em nosso blog.